Justiça

Justiça afasta e suspende salários de PMs envolvidos em chacina na AM-010

O juiz da 2° Vara do Tribunal do Júri, Lucas Couto Bezerra, a pedido do Ministério Público do Amazonas (MPAM) decidiu afastar e suspender os salários dos 14 policiais militares das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam) envolvidos na chacina que aconteceu no Ramal Água Branca, KM 32 da rodovia AM-10 em 2022. A decisão foi publicada nesta sexta-feira (24) no Diário Oficial do Estado.

Na decisão, o juiz decidiu “SUSPENDER o exercício da função pública a serem aplicadas aos Policiais Militares: 1º TEN QOPM THIAGO SILVA PAZ DE ALMEIDA (23857), 1º SGT QPPM CHARLYS MAYZANYEL DA RESSURREICAO BRAGA (18058), 2º QPPM CHARLY MOTA FERNANDES (18842), 3º SGT QPPM JONAN COSTA DE SENA (21681), 3º SGT QPPM RAIMUNDO NONATO DO NASCIMENTO TORQUATO (22049), CB QPPM JOSE VANDRO CARIOCA FRANCO (23447), CB QPPM THARLE COELHO MENDES (22215), CB QPPM DIEGO BENTES BRUCE (22438), CB QPPM STANRLEY FERREIRA CAVALCANTE (23630), CB QPPM ANDERSON PEREIRA DE SOUZA (23202), CB QPPM MAYKON HORARA FEITOZA MONTEIRO (23536), SD QPPM WEVERTON LUCAS SOUZA DE OLIVEIRA (25093), SD QPPM MARCOS MILLER JORDAO DOS SANTOS (25028) e SD QPPM DIONATHAN SARAILTON DE OLIVEIRA COSTA (25192);CONSIDERANDO.”

Além disso, o magistrado optou por suspender os salários dos envolvidos e ainda informou que eles terão que devolver armamentos, equipamentos, carteiras de identificação militar, assim precisando se afastarem das funções.

Os policias ficaram 10 meses presos, mas em março deste ano, a Justiça decidiu conceder liberdade provisória. Sendo assim, o juiz Lucas Couto decidiu impor algumas medidas para os réus além da tornozeleira eletrônica, são elas: proibição de acesso ou frequência a qualquer lugar, público ou privado onde possam encontram parentes das vítimas; proibição de manter contato, por qualquer meio, com parentes das vítimas e as testemunhas; proibição de ausentar-se da comarca sem autorização; recolhimento domiciliar no período noturno entre 18h e 6h; suspensão do exercício da função pública de Policial Militar; suspensão do direito à posse e do direito ao porte legal de arma de fogo.

O caso

Em 21 de dezembro de 2021, por volta de 3h da manhã, um quadruplo homicídio aconteceu no ramal Água Branca, na AM-010, as vítimas Valéria Luciana Pacheco, Diego Máximo, Alexandre Nascimento e Lilian Diane Máximo estavam em um veículo modelo Onix branco e foram mortos a tiros. Os PMs citados no documento serão julgados por envolvimento na chacina.

Veja os vídeos:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *