Família que quis dar carro por UTI consegue vaga após apelo, em Manaus

A família de uma mulher de 57 anos acometida com o novo coronavírus fez um pedido desesperado nas redes sociais, na tarde desta quarta-feira (27), para que a mulher fosse transferida do Serviço de Pronto-Atendimento, no bairro Redenção, na Zona Oeste de Manaus, para um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Eles chegaram a oferecer o carro de um integrante da família para quem ajudasse a conseguir um leito para a paciente.

Conforme a sobrinha da mulher, o carro foi oferecido devido ao desespero da família de salvar a vida da vítima, que já está internada há cinco dias e estava com agravamento no estado de saúde.

“Após os compartilhamentos, uma pessoa de bom coração entrou em contato com a nossa família e disse que estava fazendo o possível para que a minha tia fosse transferida. Após algum tempo, nós recebemos uma ligação que a minha tia seria transferida para o Hospital Delphina Aziz e isso já aconteceu. Eu e toda a minha família estamos muito gratos pela transferência da minha tia. Agradeço a todas as pessoas que entraram em contato e que compartilharam a nossa publicação”, relatou a mulher.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) ressaltou que, enquanto aguardam por remoção, pacientes que aguardam leitos de UTIs encontram-se assistidos e monitorados pelas equipes médicas das unidades de saúde em que estão internados, recebendo a assistência necessária.

As transferências atendem a critérios como condições clínicas e gravidade dos casos, que são estabelecidos pelos médicos reguladores da Central Única de Regulação e Agendamento de Consultas e Exames (CURA), que utilizam o protocolo de Manchester como norteador.

Atualmente, a taxa de ocupação dos leitos de UTIs públicas para pacientes com a COVID-19 é de 89,7%.

Fonte: Suyanne lima, EM TEMPO – Nenhuma violação de direitos autorais pretendida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *