Política

Após viagem ao Caribe, David Almeida pode ser convocado para prestar explicações na Câmara Municipal de Manaus

Parece que as férias do prefeito de Manaus, David Almeida, podem virar um pesadelo. Após embarcar em uma viagem a ilha de St. Maarten, no Caribe, durante o feriado de carnaval, o prefeito pode ser convocado para prestar esclarecimentos na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Tudo isso porque David estava junto com o empresário Roberto de Souza Lopes, dono da Royal Tech, empresa que tem contrato ativo com a Prefeitura de Manaus. Mas o maior problema é que Roberto é sobrinho de Zé Lopes, preso em 2019 durante a Operação Maus Caminhos.

Além do mais, enquanto a cidade passava por um carnaval cheio de problemas, o prefeito decidiu viajar com o sobrinho de um homem que desviou milhões de verbas públicas.

Na Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereadores decidiram usar a tribuna para pedir que o prefeito compareça a Casa para prestar esclarecimentos sobre a viajem não planejada.

O vereador Rodrigo Guedes destacou o Artigo 317 do Código Penal sobre corrupção passiva.

“O prefeito recebeu de um fornecedor da prefeitura de Manaus, o Roberto Lopes, que é sobrinho do Zé Lopes. Não tem ninguém da política que não saiba quem é José Lopes, que foi alvo inclusive da operação Maus Caminhos. O que diz o código penal, no Artigo 317 sobre corrupção passiva… É muito grave o que aconteceu, o código penal é muito claro, não se fala somente sobre dinheiro ou qualquer tipo de moeda, mas também vantagem. Se esse empresário tiver uma nota de empenho pendente de pagamento, será que não resolve em uma viagem dessa? Tomando uma caipirinha na praia. Então nós estamos apresentando aqui o pedido de convocação do prefeito de Manaus, David Almeida”, disse Guedes.

Marcelo Serafim também decidiu se posicionar contra a atitude de David e a justificativa usada.

“É lamentável, a justificativa de que o prefeito foi para uma viagem não programada em que sobraram vagas e ele embarcou no jatinho”, disse Marcelo.

O vereador Lissandro Breval reforçou que ninguém tem nada a ver com a vida particular de David, porém, ele é um ente público e deve sim respostas a sociedade e a CMM.

“Precisamos de informações claras, e as que foram passadas pelo prefeito até agora são muito rasas (…) Nós precisamos saber quem pagou, como foi pago, qual foi o intuito dessa viagem, quem pagou o carro, o hotel”, ressaltou Lissandro.

Os parlamentares solicitaram um requerimento para que David vá até a CMM prestar explicações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *